• Luiz Carlos Oliveira Júnior

Adicione complexidade...

Atualizado: Fev 24

Tenho poucas certezas na vida. Muito poucas. Todas elas baseadas em meus valores mais profundos e provados. Certezas que sei serem certezas apenas para mim. Fora de mim não estou certo.


A origem da minha ausência de certezas é a complexidade da realidade. Quanto mais vivo, vejo, leio e experimento, entendo que mais complicada a coisa toda que chamamos de vida é. Sem linhas retas, muitas curvas. Já cheguei a uma conclusão matemática: quanto mais elementos você coloca na equação mais complexa fica a resolução. A vida tem muitos elementos e cada dia adiciona alguns a mais.


Edgar Morin, pensador francês, é o pai da complexidade. Foi o que mais pensou sobre o assunto. O pensamento complexo, segundo ele, é aquele que abraça o fato de que existem esses tantos e inúmeros elementos de realidade, multivariados, que impedem por completo que apenas uma disciplina ou forma de observar a realidade seja capaz de toma-la inteira para si. O pensamento simples, reducionista, resume a poucos fatores algo que, bem... é mais complicado que isso.


Nossa mentalidade, demonstra Morin, é sempre muito próxima de um pensamento simples que do complexo. A ciência se desenvolveu muito assim nos últimos séculos, reduzindo, isolando, dissecando as partes, tentando reduzir a incerteza. Incerteza que é filha da realidade complexa. A ciência, desta forma, não alcança a verdade, que é complexa. O trabalho da ciência é todo reduzir a incerteza. Só se aproxima da verdade se consegue ser transdisciplinar. Quem já tentou fazer ciência sabe que isso é difícil...


Essa forma de pensamento simples domina nossa pratica. Reduzimos e simplificamos tudo. O máximo que podemos. Não por que sejamos maus. Mas por que é mais confortável e o cérebro se desenvolveu assim. O nosso funcionamento mental e o comportamento por consequência são regidos por regras que buscam reduzir o gasto de energia com a decisão. Criam hábitos, reações instintivas. Reduzimos os elementos de análise e aplicamos heurísticas, regras que ignoram propositalmente a complexidade. A natureza é complexa e parece incerta demais. A natureza do nosso cérebro não gosta dessa incerteza, ele quer resolver o desafio o mais rápido possível. Para isso a solução é fazer parecer simples.


A maior parte dos problemas do mundo são complexos. Porque a maior parte dos problemas do mundo estão ligadas ao nosso comportamento em relação a ele. Toda a complicação do mundo vem do fato de que a realidade é complexa demais e cada um de nós só leva em consideração algumas das suas partes. Nem sempre essas partes são consenso entre duas pessoas.


Por isso no campo do comportamento humano, e na saúde em particular, tenho medo de quem tem muitas certezas. Quem tem certezas demais está ignorando muitos elementos da complexidade. Daí que “impor regras” e defender “princípios” é sempre, não tenho medo de errar, um erro.


Ao lidar com os comportamentos e escolhas de saúde de uma pessoa a pior atitude é ditar a regra (a expressão popular usada por aí é outra, mais ligada ao sistema digestivo, mas fiquemos com "ditar" mesmo, por polidez). Criticar, julgar, interpretar e impor a alguém uma mudança de vida e um padrão é ignorar completamente a profundidade do buraco. Sempre que você se dedica a analisar com mais cuidado todos os elementos de vida envolvidos em um problema de saúde você descobre que o buraco é mais embaixo, muito mais. Quanto mais fundo eu vou na história da vida de alguém mais calado eu fico. Perco completamente a condição de ditar uma regra. Só consigo estar com a pessoa. A complexidade de uma vida é assustadora e admirável. Não consigo estragar isso simplesmente prescrevendo uma dieta, mandando fazer exercício, passando um remédio. A complexidade muda a forma de estar com as pessoas. Ela exige outra postura.


Esse é o desafio que se coloca para quem decide estar nesse lugar de cuidar. Abraçar o outro sem abraçar a sua complexidade é violento. Não combina bem com o bom cuidado. É violento levar nossas certezas para o outro. É daí que o excesso de certezas por parte do cuidador resulta em poucas mudanças na vida do cuidado. Quanto menos elementos você considera ao propor uma mudança menos ele se sustenta.


Não dito regras por que elas são simples e certas demais. Adicione complexidade e todas as certezas se dissolvem. As minhas já derreteram faz tempo. Essa é uma das poucas que sobraram.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Assine a nossa newsletter

Pilares

Ajudas

Contato

Rua Anchieta, 371 - Lídice
Uberlândia/MG
[34] 3217.0001
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca Ícone Beatport

©  MEV Brasil 2020. Todos os direitos reservados

agenciar8.png