Curiosidade: elemento chave para a mudança

O que você mais deseja na vida? Para a grande maioria de nós, a resposta é “ser feliz”. Em uma pesquisa de 2007 com mais de 10.000 pessoas de 48 países publicada em Perspectives on Psychological Sciences, a felicidade foi vista como mais importante do que o sucesso, inteligência, conhecimento, maturidade, sabedoria, relacionamentos, riqueza e significado na vida.


Uma das chaves mais confiáveis ​​e esquecidas para a felicidade é cultivar e exercitar nosso senso inato de curiosidade. Isso porque a curiosidade - um estado de interesse ativo ou genuíno de querer saber mais sobre algo - cria uma abertura para experiências desconhecidas, estabelecendo as bases para maiores oportunidades de experimentar a descoberta, alegria e deleite.


A curiosidade é algo que pode ser nutrido e desenvolvido. Com a prática, podemos aproveitar o poder da curiosidade para transformar as tarefas cotidianas em experiências interessantes e agradáveis. Também podemos usar a curiosidade para criar intencionalmente maravilha, intriga e diversão em quase todas as situações ou interações que encontrarmos.


Tudo começa com o desejo de saber mais.


Pense no que fazemos como coaches: nós ouvimos, fazemos perguntas, esclarecemos. Nós refletimos a essência do que ouvimos / observamos para que o outro possa se ver. E então ajudamos a chegar aos resultados desejados. O que fazemos é um trabalho realmente brilhante e útil.


E o que fazemos não é suficiente. Quem somos é tão importante quanto o que estamos fazendo. Isso destaca o estilo “orientador” em nosso trabalho. Devemos ser simplesmente curiosos, se somos curiosos, realmente estimulamos a descoberta, uma nova consciência e, em última instância, os resultados.



5 benefícios de uma mente curiosa


A curiosidade, em sua essência, é perceber e ser atraído por coisas que achamos interessantes. Trata-se de reconhecer e aproveitar os prazeres que novas experiências nos oferecem e encontrar novidades e significado mesmo em experiências que são familiares.


Quando somos curiosos, vemos as coisas de maneira diferente; usamos nossos poderes de observação mais plenamente. Sentimos o que está acontecendo no momento presente, tomando nota do que está acontecendo, independentemente de como parecia antes ou do que poderíamos esperar que fosse.


Sentimo-nos vivos e engajados, mais capazes de abraçar oportunidades, fazer conexões e vivenciar momentos de percepção e significado - todos os quais fornecem a base para uma experiência de vida rica, consciente e satisfatória.


Aqui estão cinco maneiras importantes pelas quais a curiosidade aumenta nosso bem-estar e a qualidade de nossas vidas:


1. Saúde

Em um estudo de 1996 publicado na revista Psychology and Aging, mais de 1.000 idosos com idade entre 60 e 86 anos foram cuidadosamente observados ao longo de um período de cinco anos, e os pesquisadores descobriram que aqueles que foram classificados como sendo mais curiosos no início do estudo eram mais prováveis estar vivo na sua conclusão, mesmo levando em consideração a idade, se fumaram, a presença de câncer ou doenças cardiovasculares, e assim por diante.


É possível que o declínio da curiosidade seja um sinal inicial de doença neurológica e declínio da saúde. No entanto, existem sinais promissores de que aumentar a curiosidade reduz o risco dessas doenças e pode até reverter parte da degeneração natural que ocorre em adultos mais velhos.



2. Inteligência

Estudos têm mostrado que a curiosidade se correlaciona positivamente com a inteligência. Em um estudo publicado no Journal of Personality and Social Psychology em 2002, os pesquisadores previram corretamente que as crianças pequenas muito curiosas teriam QI mais alto como crianças mais velhas do que aquelas com níveis mais baixos de curiosidade. Os pesquisadores mediram o comportamento de busca de novidades em 1.795 crianças de 3 anos e, em seguida, mediram sua capacidade cognitiva aos 11 anos. Conforme previsto, as crianças de 11 anos que eram muito curiosas com 3 anos de idade pontuaram mais 12 pontos no QI total em comparação com os que buscam baixo estímulo. Eles também tinham habilidade escolar e de leitura superior.


Outros estudos mostraram que altos níveis de curiosidade em adultos estão ligados a uma maior capacidade analítica, habilidades de resolução de problemas e inteligência geral. Tudo isso sugere que cultivar mais curiosidade em sua vida diária provavelmente o tornará mais inteligente.


3. Relações Sociais

É muito mais fácil formar e manter relacionamentos significativos e satisfatórios quando você demonstra uma atitude de abertura e interesse genuíno. Uma das principais razões pelas quais os casais procuram aconselhamento ou terapia é porque eles ficaram entediados um com o outro. Isso geralmente desperta ressentimento, hostilidade, falhas de comunicação e falta de interesse em passar algum tempo juntos (apenas aumentando o problema inicial). Pessoas curiosas relatam relacionamentos e casamentos mais satisfatórios. Casais felizes descrevem seus parceiros como interessados ​​e receptivos.


Pessoas curiosas tendem a agir de forma a permitir que os relacionamentos se desenvolvam mais facilmente. Pessoas curiosas fazem perguntas e se interessam em aprender sobre os outros, e tentam intencionalmente manter as interações interessantes, envolventes e lúdicas. Essa abordagem apóia o desenvolvimento de bons relacionamentos.


4. Felicidade

A organização Gallup relatou em 2014 os resultados de uma pesquisa realizada com mais de 130.000 pessoas de cerca de 130 nações, uma amostra projetada para representar 96 por cento da população mundial. A pesquisa identificou dois fatores que tiveram a maior influência sobre a satisfação que uma pessoa experimentou em um determinado dia: “poder contar com a ajuda de alguém” e “aprender algo novo”.


O que esta pesquisa confirma é que desenvolver bons relacionamentos com outras pessoas e crescer como pessoa são componentes fundamentais de uma vida “feliz”. Ambos os fatores são sustentados pela curiosidade.


5. Significado