• Luiz Carlos Oliveira Júnior

Invista em ativos... de saúde

Atualizado: Fev 24

"Ativos" em economia e contabilidade são recursos financeiros que incluem bens e direitos constituindo estoques de riqueza de indivíduos ou empresas. Eles podem ser utilizados para aumentar o fluxo de caixa.


Quando falamos de ativos de saúde você pode pensar a princípio que estamos conversando sobre bens e direitos ligados ao mercado de cuidados de saúde. É certo que esse é um grande mercado. Grande quanto? Estima-se que em 2022 ele seja tão grande quanto 11 trilhões de dólares. Ou seja, muito grande! Só no Brasil o mercado de cuidados de saúde equivale a 9% do PIB nacional, 38 bilhões de dólares. Isso faz do Brasil o oitavo maior mercado de saúde do mundo.


Mas não são desses ativos que trato aqui. São de outros, muito mais valiosos. É do grande primeiro-ministro britânico Winston Churchill a frase:


Cidadãos saudáveis são o grande ativo que qualquer país pode ter.

Ativos de saúde são aqueles fatores que indivíduos, famílias, comunidades ou mesmo países tem que determinam maior saúde e longevidade. São recursos que produzem mais saúde ou conferem maior resiliência quando a doença bate à porta fazendo com que a recuperação e o prognóstico sejam muito mais favoráveis. Por isso eles acabam resultando em benefícios econômicos evidentes ao reduzirem os custos de saúde de famílias e sistemas de saúde e a perda de anos de vida produtivos com afastamento do trabalho. Principalmente em um cenário global em que as doenças crônicas não transmissíveis com crescente prevalência custam trilhões de dólares às nações.


Nada novo mas muito atual


Este não é um tema novo. A expressão “ativos de saúde” é muito utilizada na psicologia, ciências sociais mas principalmente na saúde pública. Está inserido no contexto da teoria da “salutogênese” de Antonovsky que descrever como os recursos pessoais ajudam a construir ou não saúde.


Atualmente o estudo dos ativos de saúde tem sido retomado com o nascimento de uma nova disciplina, a Saúde ou Medicina positiva, filha da Psicologia Positiva. A Medicina Positiva pretende mudar a perspectiva da pesquisa e prática de saúde investigando e investindo no desenvolvimento do

“bem estar além da mera ausência de doença”,

conforme as palavras de Martin Seligman, um dos pais dessa nova disciplina.


O olhar da Saúde positiva é dirigido para aquilo “que se tem” de forças para produzir saúde e não aquilo que “não se deve ter”. Parece uma diferença muito sutil mas provoca um olhar voltado para a ampliação da performance e não para a atenção apenas no déficit.


Podem ser considerados “ativos de saúde” quaisquer recursos capazes de “criar” bem estar e aumentar as chances de florescimento de uma pessoa ou comunidade. Eles seriam os marcadores de saúde. Uma característica fisiológica, um recurso financeiro, social ou ambiental, um conhecimento ou mesmo uma habilidade que não só proteja alguém de adoecer mas aumente suas chances de ser feliz e saudável por toda a vida.


Vários ativos de saúde foram e estão sendo mapeados em três categorias nas dimensões individual, familiar e comunitária: biológicos, subjetivos e funcionais. É um campo de pesquisa enorme a ser explorado tanto com o desenho de novos estudos com metodologias adequadas quanto com a revisão de dados já disponíveis dos inúmeros estudos já realizados.


Ativos biológicos


Ativos biológicos são característica anatômicas ou fisiológicas que permitem maior adaptação ao desafio e estresse permitindo recuperação e vida longeva. O foco aqui é nos atributos positivos mais que nos negativos, os fatores de risco que não se deveria ter. São exemplos:


  • Rápida recuperação de feridas

  • pressão arterial baixa

  • alta variabilidade cardíaca

  • alta relação HDL/LDL

  • telômeros alongados

  • baixo IMC

  • níveis de vitamina D, neuropeptídeo Y e ocitocina

  • VO2 máximo

  • reservas fisiológicas cardíaca, renal, pulmonar e cerebral


Ativos Subjetivos


Ativos subjetivos são aqueles traços ou estados auto-relatados que contribuem para a saúde e bem-estar subjetivo:


  • entusiasmo e vitalidade

  • otimismo e esperança

  • coragem e bravura

  • locus de controle interno

  • satisfação com a vida e engajamento

  • emoções positivas

  • senso de maestria, competência e sentido de viver

  • senso de coerência


Ativos funcionais


Os ativos funcionais são aqueles ligados ao desempenho nos diversos campos de atividade em que nos envolvemos na vida. Hoje é cada vez mais evidente que a verdadeira recuperação de uma enfermidade ou condição é o retorno à funcionalidade. Nesta categoria estão:


  • acuidade sensorial

  • performance em tarefas motoras e bom condicionamento físico

  • funcionamento cognitivo

  • papel social e familiar

  • envolvimento em atividades comunitárias e recreativas

  • integração e suporte social


Uma mudança de paradigma


A prática de saúde e a gestão dirigidas para os ativos de saúde representam uma grande guinada dentro de todo o ecossistema de cuidado. O que não deixa de ser uma tarefa hercúlea considerando o tamanho das engrenagens que devem ser mudadas para que isso ocorra. Mas consideremos os ganhos tanto nas dimensões econômicas negativa quanto positiva.


Primeiro olhando para a dimensão econômica negativa podemos ver que os ativos de saúde não deixam de ser verdadeiros ativos financeiros. A economia gerada pela prevenção e redução de custos com os serviços de saúde é deveras interessante. A projeção de gasto com as doenças crônicas que se projeta para os próximos anos é da cada de trilhões. Isso é particularmente preocupante em países pouco desenvolvidos. Investir nos ativos de saúde reduziria os custos com saúde que nesses países são catastróficos para muitas famílias jogando-as na miséria muitas vezes.


Na perspectiva positiva devemos considerar que o “mercado do bem-estar” que inclui diversas atividades como nutrição, fitness, turismo de saúde, medicina preventiva e personalizada, já somam mais de 4 trilhões de dólares em gastos. Com um crescimento sustentado no decorrer dos últimos anos representa uma grande oportunidade para inovações tecnológicas e de modelos de negócio.


Ativos de saúde - a essência da MEV


As abordagens positivas de saúde são uma virada no jogo. A Medicina do Estilo de Vida investe justamente na valorização das forças que o paciente possui, mobilizando seus ativos de saúde para virar o jogo e vencer os maiores desafios globais de saúde do nosso tempo, todos ligado de alguma forma a nossas escolhas de vida.


MEV-SE!


0 comentário