Medicina Positiva

Atualizado: Fev 24

Imagine um paciente entrando no seu consultório. Ele senta na sua frente, vocês se cumprimentam. O que é a primeira coisa que você pergunta? “No que posso ajudar?” O que você espera ouvir como resposta? Se tudo for de acordo com o que você aprendeu estudando semiologia o paciente deve dizer a queixa principal e a partir daí você vai explorar os sintomas através de perguntas e no final terá feito uma “boa anamnese” que permitirá o diagnóstico e a definição do tratamento.


Mas e se o paciente não tiver uma queixa?


E se ele quiser saber o que fazer para ser feliz e saudável? E se ele quiser entender os mecanismos por trás do bem estar? O que você faria? Na faculdade você estudou fisiologia, que diz como o corpo funciona, e depois fisiopatologia que mostrou como a doença interfere nela para gerar os sintomas e sinais que você aprendeu a identificar na semiologia. Mas você teve quantas aulas de fisiologia da saúde? Aprendeu a fazer a anamnese do bem estar? Aprendeu os mecanismos que podem levar uma pessoa a alcançar o máximo da saúde? Provavelmente não ou muito pouco. Isso porque nosso modelo de atenção à saúde é um “modelo negativo”, focado no déficit. Entendemos muito bem o que funciona mal e como consertar isso. Mas como fazer ficar melhor é outro assunto. E esse assunto é a “Saúde Positiva”.


A “Saúde Positiva” é um campo inovador de pesquisa e prática. Seu foco é o desenvolvimento do bem-estar em todas as suas dimensões, o florescimento humano. De acordo com Martin Seligman, diretor do Centro de Psicologia Positiva da Universidade da Pensilvânia, e um dos líderes nessa área, as pessoas desejam bem mais que apenas a cura de uma doenças, elas desejam ir além e ter saúde e bem estar. Como Seligman e diversos outros pesquisadores demonstraram no campo da Psicologia Positiva, entender os mecanismos das doenças não necessariamente nos permitem entender os mecanismos da saúde. Por esse motivo a pesquisa em Saúde Positiva tem uma outra abordagem e pode revolucionar a saúde: identificar e desenvolver os ativos de saúde.


"As pessoas desejam o bem-estar por si só e o desejam acima e além do alívio de seu sofrimento."
Martin Seligman

Ativos de Saúde


Ativos de saúde são recursos de natureza subjetiva, biológica ou funcional que indivíduos e comunidades possuem e que permitem a eles florescer mesmo diante de grande desafios ou em condições não favoráveis. O uso desses recursos de forma otimizada pode desenvolver saúde através de mecanismos fisiológicos e psicológicos próprios. É uma espécie de “fisiopatologia do bem estar”, a salutogênese. Esses recursos também podem servir como marcadores de saúde e formar os sinais vitais que medem o florescimento.


Adotar uma abordagem positiva de saúde pode fazer uma transformação do modelo assistencial. Hoje um grande número de pacientes apresenta sintomas que não tem nenhuma relação com as entidades nosológicas descritas, os sintomas medicamente inexplicáveis. Os exames têm resultados “normais” e apesar de não terem nenhuma “doença”, não apresentam o bem estar que desejam. Com frequência recebem o diagnóstico de um transtorno de somatização por falta de melhor explicação. Uma abordagem positiva que vá além da doença e busque, apesar dos sintomas, aumentar o bem estar poderia abrir novas oportunidades de intervenção nesses casos. E criaria também estratégias para auxiliar pessoas sem nenhuma queixa a prevenir doenças e desenvolver seus recursos.


A Saúde Positiva é revolucionária!


A saúde positiva fará uma transformação sem precedentes na Medicina e nas demais profissões da saúde. Essa mudança começa com reordenar os esforços de pesquisa para entender como a saúde ocorre ao mesmo tempo em que investigamos os mecanismos de doença. Na prática faremos intervenções para tratar as enfermidades e também outras para aumentar o bem-estar. Mas duas grandes mudanças ocorrerão, uma na educação e outra nas crenças de saúde de profissionais e pacientes. Os cursos de formação profissional precisam ser reordenados para que os conhecimentos necessários possam ser incorporados aos cursos. Os pacientes também experimentarão uma mudança de postura diante de sua saúde, mais ativa do que hoje.


A Saúde Positiva e uma Medicina Positiva não é um chamado a abandonar o modelo atual. Ela é um movimento de reequilíbrio. Precisamos construir tanto os aspectos curativos quanto preventivos, curar mas também construir saúde. A Medicina do Estilo de Vida está inserida nesta filosofia. Intervindo no estilo de vida, nos hábitos e escolhas dos nossos pacientes, confiamos nos seus recursos, estimulamos seu desejo de florescer. A MEV já é assim!


Venha construir saúde! MEV-SE!


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo