O que a Medicina de Estilo de Vida pode fazer pela sua saúde?


Todos se encantam com as abordagens da MEDICINA DO ESTILO DE VIDA, mas ficam um pouco resistentes se realmente funciona. Então, hoje trago um relato de caso de uma paciente que acompanhei durante todo o seu processo de transformação.

Em 2016, conheci Ana Marcia (troquei o nome para seguir as normas do código de ética médica), 42 anos, bancária, casada, sem filhos, casamento estável e feliz. Tinha pressão alta desde os 32 anos, usava medicação diariamente e mesmo assim sua pressão se mantinha no limite. Aos 38 anos, fez um ultrassom de abdome com diagnostico de Esteatose Hepática grau I, a famosa gordura no fígado. Nunca apresentou alterações de colesterol nem de glicemia.

Seu maior sonho era poder se considerar uma pessoa saudável sem precisar de medicações diariamente.

Avaliamos os 6 pilares da MEV em consulta há 14 meses atrás:

Alimentação – Comia de tudo, nunca apresentou excesso de peso. Relatava comer fast food (sanduiches e pizza) 3 vezes na semana, almoçava marmitex no local de trabalho, comia no máximo 2 frutas ao dia e não gostava de verduras. Folhas são seu pior pesadelo na alimentação. Consome carne (de todos os tipos) em 2 das 4 refeições do dia. Já fez dietas, mas nunca conseguiu manter por muito tempo. Não cozinha, mas estaria disposta a aprender.

Estresse - estresse intenso devido a demandas do trabalho e estudo, relatava pensamento acelerado e fixo nos problemas do trabalho.

Movimento - Não realizava atividade física com regularidade, apesar de pagar academia durante o ano todo. Relatava ter um “problema no joelho esquerdo” quando estava correndo na esteira da academia e isso a deixou desestimulada. Nos fins de semana, ela ficava em casa dormindo ou assistindo maratonas de séries na televisão. Mora num prédio de 6 andares, mas nunca usou as escadas. Usava o carro para qualquer saída.

Sono – Dormia muito, em torno de 9 horas por dia e mesmo assim se sentia cansada e sem energia.

Relacionamentos – tinha bons relacionamentos, porém com poucas pessoas. Tinha dificuldades em conversar sobre assuntos diversos ou se relacionar com pessoas lentas e fora do seu pequeno círculo de amizades.

Tóxicos – Não bebia e nunca havia fumado.

Diante dessa avaliação, fizemos as propostas de alteração de alguns hábitos de vida e fomos evoluindo durante 12 meses nos seguintes aspectos:

1 - Reduzindo o estresse com meditação,

2 - Praticando yoga e caminhada 4 vezes na semana,

3 - Aprimorando suas habilidades na cozinha e levando marmita para o trabalho.

E o resultado foi: RETIRADA das medicações para pressão alta, melhora da qualidade do sono, redução significativa dos níveis de estresse e grande avanço na qualidade da alimentação diária. Sua pressão arterial se mantém mais baixa do que quando usava medicamentos e a “gordura no fígado” desapareceu. E melhor ainda, agora ela se sente no controle de sua saúde através do seu estilo de vida.

E você, gostaria de estar no controle da sua saúde? Então, venha para Medicina do Estilo de Vida!

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo