Teach-Back: excelente ferramenta de comunicação médico-paciente

A importância do envolvimento dos pacientes nos cuidados de saúde está sendo reconhecida pelos profissionais de saúde, principalmente os médicos. Para que os pacientes estejam envolvidos, suas prioridades devem ser identificadas e abordadas. A maioria das pesquisas sobre as preferências e expectativas dos pacientes foi realizada em nível populacional, usando métodos como pesquisas de questionário e grupos focais. Um achado consistente ao longo dos anos tem sido as preferências dos pacientes por médicos que os ouvem e os incentivam a discutir todos os seus problemas. Como as expectativas dos pacientes geralmente são específicas ao contexto, é necessária uma pesquisa na consulta para determinar se as preferências dos pacientes estão sendo articuladas ou não.


Como as prescrições são escritas na maioria das consultas a comunicação médico-paciente sobre a prescrição pode estar associada a desconforto de ambas as partes, e ao problema contínuo de não adesão ao tratamento, as prioridades dos pacientes para a prescrição são claramente um importante foco e o método Teach- Back é uma excelente ferramenta.


O que é Teach-Back?


Teach-back é uma intervenção de literácia em saúde baseada em evidências que promove o envolvimento, a segurança, a aderência e a qualidade do paciente.


Essa intervenção de baixo custo e baixa tecnologia pode ser a porta de entrada para uma melhor comunicação, melhor entendimento e, finalmente, uma tomada de decisão compartilhada. O objetivo da devolução é garantir que o profissional de saúde tenha explicado claramente as informações médicas para que os pacientes e suas famílias entendam o que foi comunicado.


No ensino, o profissional pede aos pacientes ou membros da família que expliquem com suas próprias palavras o que eles precisam saber ou fazer. É mais do que repetir o que ouviram - se pede que eles o ensinem de volta.


Teach-back é uma estratégia para você, profissional de saúde, validar (1) que explicou claramente as informações médicas e (2) que os pacientes e / ou familiares têm um entendimento claro do que você lhes disse.


O Teach-back pode ser usado por todos os membros da equipe. Ele pode ser usado pelo clínico durante a visita ao consultório, mas também pode ser usado por qualquer pessoa que forneça educação ao paciente ou forneça informações ao paciente e à família. Por exemplo, ele pode ser usado pelo enfermeiro ao dar instruções de cuidados em casa ou explicar como usar um dispositivo. Pode ser usado pela equipe da recepção que fornece informações sobre a preparação para os laboratórios ou o agendamento de consultas de acompanhamento.


Por que usar o Teach-Back?


Pesquisas indicam que os médicos subestimam as necessidades de informações de seus pacientes e superestimam sua capacidade de se comunicar efetivamente com os pacientes.


Em um estudo, até 80% das informações médicas aos pacientes que foram informadas durante as consultas foram esquecidas imediatamente; em outro estudo, quase metade das informações retidas estavam incorretas. Os mal-entendidos e a falta de recordação dos pacientes contribuem para a baixa adesão e os resultados insatisfatório dos pacientes.

Em uma meta-análise de evidências usando o método Teach-back, o retorno foi positivo correlacionando a adesão e os resultados aprimorados do paciente.


O Teach-back é uma estratégia comprovada para garantir que os pacientes e suas famílias tenham um entendimento claro das informações médicas que você lhes comunica.

Encontrar maneiras de melhorar a comunicação entre você e seus pacientes e suas famílias pode resolver diretamente os problemas de segurança do paciente, auto-gerenciamento e auto-eficácia.


Trago aqui alguns artigos sobre esse assunto.


Koran J, Koropeckyj-Cox T, Arnold C. Are physicians and patients in agreement? Exploring dyadic concordance. Health Educ Behav 2013;40(5):603-611. http://dx.doi. org/10.1177/1090198112473102.


Kessels RP. Patients’ memory for medical information. J R Soc Med 2003;96(5):219-222. http://dx.doi.org/10.1258/jrsm.96.5.219.


Britten N, Stevenson FA, Barty CA, et al. Misunderstandings in prescribing decisions in general practice: qualitative study. BMJ 2000;320(7233), 484-8. http://dx.doi.org/10.1136/ bmj.320.7233.484.


Dinh H, Bonner A, Clark R, et al. The effectiveness of the teach-back method on adherence and self-management in health education for people with chronic disease: a systematic review. JBI Database System Rev Implemen Rep 2016;14(1):210-47. http://dx.doi.org/10.11124/ jbisrir-2016-2296.

0 comentário