• Luiz Carlos Oliveira Júnior

Uma ideia que vale trilhões

Atualizado: Fev 24

Milhões de pessoas são mortas todos os anos por um único inimigo. Imagine algo que mata aproximadamente 60 milhões de pessoas todos os anos. Você sabe que coisa é essa? Não acha que o nome desse assassino em massa deveria estar estampado, junto com seus horríveis feitos, nas manchetes de todos os jornais? Você não deveria ligar a televisão e ver debates calorosos sobre como enfrentá-lo? Mas não vê. Não acha estranho?


Esse inimigo é o estilo de vida moderno. Ele é responsável direto por uma grande parte daquela que é a maior emergência mundial de saúde: a epidemia de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT). As doenças cardiovasculares, câncer, diabetes, doenças pulmonares crônicas, demências e depressão, entre outras, estão diretamente ligadas a fatores de risco modificáveis do estilo de vida. Ou seja, poderiam ser evitadas.


Os males vem aos pares


Os males, diz um ditado médico, vem aos pares. Esse é o caso das DCNT. A maior parte dos portadores de uma condição crônica de saúde tem mais de uma, às vezes três ou quatro. Uma condição crônica aumenta o risco de outra: o risco de ter Alzheimer é 5,5 maior para quem já teve um Acidente Vascular Cerebral que para quem não teve; o de depressão é 3,9 vezes maior. 


Essas condições tem um custo muito alto para a sociedade. Primeiro da incapacidade para uma vida produtiva e feliz, e segundo pelos custos diretos e indiretos. Os custos emocionais são altíssimos e os econômicos são enormes. O Fórum Econômico Mundial estima que o custo gerado pelas DCNT nas próximas décadas será de 47 trilhões de dólares. Tamanho impacto econômico torna esse um tema digno de estar sendo discutido amplamente no campo da política e economia e não apenas dentro dos muros de hospitais e clínicas.


O tabu da saúde


Discutir custo e saúde é um tabu. Há pessoas que ficam escandalizadas quando dinheiro e vida são assunto em um mesmo debate. Mas é uma lei imutável da natureza e da economia que os recursos são limitados. Se gastamos todo esse volume de recursos com as DCNT eles deixam de poder ser alocados para outros fins. Trilhões que são gastos para gerenciar, no modelo atual de cuidado, doenças que não tem perspectiva de cura, poderiam ser alocados na educação, na infraestrutura e até no desenvolvimento de recursos novos para o combate a elas mesmas. 


Você quer uma ideia que vale milhões?


Muitas pessoas estão atrás de uma idéia que valha milhões. Que tal uma ideia que vale trilhões?


Apenas 5 mudanças no estilo de vida podem ser responsáveis por uma economia dessa ordem:

  • manter uma dieta de qualidade (frutas, verduras, pouca proteína animal e alimentos processados)

  • movimento (mais atividade física e menos sofá)

  • manter o peso dentro do ideal

  • Beber com moderação

  • Não fumar


Conclusão: se já é escandaloso não se colocar esse assunto na ordem do dia mais escandaloso ainda é que seja tão simples economizar trilhões.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo